Costa Negócios mantém alunos de Angola em Universidade Brasileira

O desenvolvimento de um País depende de vários fatores, mas a educação talvez seja um dos mais importantes. Pensando justamente nisso, é que a COSTA NEGÓCIOS mantém, há anos, uma parceria com o Governo de Angola e a UNILINS, Universidade Brasileira localizada no estado de São Paulo.

O objetivo é oferecer formação acadêmica (graduação) aos jovens angolanos para que, quando retornarem ao País de origem, sejam inseridos no mercado de trabalho e, consequentemente, contribuam para o desenvolvimento de Angola. O CEO da COSTA NEGÓCIOS no Brasil, Enaldo Montanha, explica que, desde que a parceria existe, cerca de 400 jovens já participaram do projeto. “Nossa intenção é formar quadros nas mais diversas áreas de conhecimento, buscando a independência da inteligência externa e gerando emprego local”, destaca Montanha.

O reitor da UNILINS, Prof. Milton Nizato, ressalta que esse trabalho em parceira com a COSTA NEGÓCIOS é muito importante. “A COSTA tem se constituído um fator de alavancagem para o processo de aprendizagem desses jovens. Angola está em um processo de recuperação e reconstrução nacional e necessita de mão de obra especializada. Quando esses alunos vêm para o Brasil, eles vêm com a consciência de que precisam estudar para, quando voltarem, ajudar no desenvolvimento do País. E a UNILINS lembra isso a eles todos os dias. A UNILINS fica muito feliz em estar fazendo parte desse processo de desenvolvimento. Ficamos felizes com a confiança da COSTA NEGÓCIOS por confiarem tanto em nosso trabalho”, enfatiza o reitor.

SELEÇÃO

Todas as vezes em que há uma demanda de alunos em Angola, a UNILINS abre o processo seletivo, que é feito em Angola. “Vem para cá os melhores colocados no processo. A COSTA, por exemplo, ao contribuir com o Governo de Angola, quer manter aqui os melhores alunos, pois assim irá formar um bom profissional para contribuir com o País. Vai muito além da questão social”, afirma o reitor da UNILINS.

“A quantidade de inscritos para o vestibular de lá é praticamente o mesmo que o daqui. Eles querem vir ao Brasil para estudar. Embora saibamos que hoje existem muitas Universidades privadas em Angola, o número de alunos que querem vir ao Brasil é impressionante. Nós agradecemos muito a COSTA NEGÓCIOS por acreditar no trabalho que realizamos aqui na UNILINS e nos proporcionarmos essa parceria”, diz a assistente Social da UNILINS, Raquel Elorsa.

Outro ponto que a assistente social destaca é o fato de que a presença dos alunos fez muito bem para a cidade de Lins, principalmente no quesito cultural. “O dia do aniversário da Angola já faz parte do calendário oficial de Lins. E isso se deve por causa da atuação dos alunos angolanos na sociedade. Todos os anos, eles realizam a festa da Independência Angolana”, aponta Raquel.

SONHOS

Dentre os cursos escolhidos pelos jovens angolanos estão as engenharias ambiental, civil, eletrônica, da computação, serviço social, marketing, enfermagem, administração, entre outros. “Quando o aluno conclui a graduação, ele retorna para Angola e lá tem a liberdade de escolha no mercado de trabalho, que é aderente pela falta de profissionais nestas áreas de formação. Hoje, 100% dos profissionais formados neste programa estão empregados no mercado angolano”, afirma Enaldo Montanha.

O aluno de Engenharia Ambiental e Sanitária, Gilberto Sebastião, chegou ao Brasil em 2013, e garante que a oportunidade de estudar em outro país será um diferencial em sua vida. “Minha visão de ver as coisas mudou muito depois que cheguei aqui. A formação é muito diferenciada. Se compararmos o nível de desenvolvimento dos dois países, o Brasil está muito à frente. Minhas expectativas quando voltar para lá são muito boas”, afirma.

“A Universidade dispõe de vários recursos que contribuem muito para nosso aprendizado. Desde que cheguei, aprendi muita coisa. Aliás, a minha capacidade de aprendizado melhorou muito, principalmente na parte de gestão, que é a área que eu estudo. Além de estudar aqui na Universidade, faço outros cursos complementares. Ganhar uma bolsa para estudar no Brasil foi uma oportunidade muito boa, já que minha família não teria condições de arcar com os custos dos estudos aqui no Brasil. Sabendo disso, vou trabalhar muito para contribuir com o desenvolvimento de Angola quando voltar para lá”, comenta Adriano Lucas Jaime, estudante de administração de empresas.

Para Edlandi Manuel Cabango, estudante de engenharia da computação, ganhar a bolsa foi uma excelente oportunidade, pois, segundo ele, se tivesse ficado em Angola, com certeza, não teria feito Universidade, pois sua condição financeira não permitiria. “Quando recebi a notícia de que tinha passado no processo seletivo eu estava em situação muito difícil na Angola. Foi uma oportunidade que mudou a minha vida”, afirma.

“Tudo o que aprendi até agora contribuiu muito para a minha vida de forma geral. Vir estudar no Brasil foi uma oportunidade para eu mudar a minha vida, da minha família e de Angola. O ensino e os professores da UNILINS são muito bons, o que facilita ainda mais nosso aprendizado”, enfatiza Maria Madalena Caputo, aluna de engenharia ambiental.
A estudante de administração Angélica Domingas Vonevala conta que vir estudar no Brasil foi uma chance de expandir os conhecimentos. “Quando eu voltar, será uma oportunidade de colocar em prática o que aprendi na Universidade”, destaca.